• LinkedIn Social Icon
  • Facebook Clean Grey
  • LinkedIn Clean Grey

Rebimboca agência de comunicação e produção de conteúdo

Rio de Janeiro - Brasil

© 2019  Rebimboca Comunicação

 

Ao longo de sua já longa história, o mercado automobilístico talvez nunca tenha passado por um período de transformações e disputas tão acirradas com agora. Não falo somente das fusões entre grandes marcas, que nos últimos 10 ou 15 anos vem criando gigantes multinacionais ainda maiores, mas das mudanças, cada vez mais aceleradas, que acontecem em relação às tecnologias automotivas e ao próprio comportamento da sociedade em relação aos carros. Calma, leitor, não se assuste, não vou mergulhar nessa complexidade toda agora, mas sim mostrar dois exemplos disso.

 

 

O primeiro é a apresentação, no último domingo, no Salão de Los Angeles, do novo Mustang Mach E. (acima.fotos à esquerda e abaixo). Como dá para perceber, além do cavalinho em disparada e de algumas (poucas) formas, esse novo Ford parece só pegar uma caroninha no nome de maior apelo da marca – o do esportivo lançado em 1964 e mantido por muitas gerações em linha até hoje. O Mach E é um SUV, tipo de carro que responde por quase metade do total de vendas nos EUA. E é movido exclusivamente por baterias, que lhe permitem rodar mais de 200 milhas (ou 320 km) por recarga nas versões mais simples, que custarão a partir de US$ 44 mil (ou R$ 185 mil). A mais cara, a GT, sairá por US$ 60 mil (R$ 251 mil), terá potência combinada de 465cv e torque de 84,6 kgfm, com tração nas quatro rodas. 

 

 

 

Um monstrinho que a Ford espera ser capaz de fazer frente ao futurista Model X, SUV também elétrico da Tesla que vai de zero a 100 km/h em menos de três segundos, lançado há algum tempo e que preços começando em US$ 85 mil. E o preço, claro, é um argumento gritante. Abaixo um detalhe do interior do carro que, não por acaso, tem no centro do painel uma grande tela responsiva no estilo "tablet", tal como visto nos modelos Tesla.

 

 

 

No coração do oponente

É dito que, quando um não quer, dois não brigam. Mas no mundo automotivo, a disputa faz parte do caminho e a reação da Tesla será enfrentar um dos pontos de honra da Ford. Não faz muito tempo, o CEO da empresa, Elon Musk anunciou que vai apresentar nos próximos meses a versão final de sua picape, provisoriamente chamada de Model P (em simulações no alto da página e nas fotos abaixo). Há décadas, a Ford lidera o segmento nos EUA com sua Série F, que tem a F-150 como modelo mais vendido no país (não somente entre as picapes, mas entre TODOS os veículos).

 

 

A promessa de Musk é colocar nas lojas um utilitário elétrico que custe pouco menos de US$ 50 mil (R$ 201 mil), consiga carregar tanta carga Quanto a atual líder e ofereça um desempenho equivalente ao de um Porsche 911. Para efeito de comparação, versão mais simples da F150, a gasolina, sai hoje por US$ 35,6 mil (pouco menos de R$ 150 mil).

 

 

A Tesla é hoje a líder absoluta em carros elétricos nos EUA e, embora esse tipo de veículo só represente hoje 2% do mercado local, ele está em expansão. Não por acaso, todas as grandes montadoras estão deixando de encarar os veículos movidos por baterias como "compliance cars" (carros para "cumprir tabela" em termos socioambientais) e investem hoje bilhões para desenvolver seus modelos pelo mundo a fora.

 

Em termos de valor – o que traduz bem a expectativa do mercado financeiro –, a marca de Musk já ultrapassou a de Henry (Ford). Se a Ford vai desbancar a Tesla com seu Mustang SUV, ou se a Tesla vai balançar a For com sua picape, só saberemos nos próximo capítulos.

 

Please reload

Posts Em Destaque

Carros elétricos: o que falta para vê-los nas ruas brasileiras?

November 2, 2018

1/2
Please reload

Posts Recentes

November 21, 2019

Please reload

Arquivo